Orações

Imprimir
Categoria: Actividades
Publicado em Domingo, 15 Março 2020

SALMO 22(21) - “Apressai-Vos a socorrer-me”

“Meu Deus Meu Deus porque me abandonaste” bradou Jesus no alto da cruz, antes de expirar. Parece o desespero de quem sofre intensamente sem o socorro de Deus. Mas não. Ao rezar o início do salmo 22 (21), Jesus identifica-se com o salmo por inteiro que, na continuação, exprime confiança e ação de graças a Deus pela nova vida. Meditemo-lo ao longo da Semana Santa pois é o salmo próprio da paixão de Jesus e do sofrimento da humanidade. Para ajudar na meditação, destaco três versículos que, a meu ver, correspondem a três perspetivas que se completam para dar o sentido global desta bela oração bíblica.

1. “Meu Deus, Meu Deus porque me abandonaste?” (v 1). Esta experiência de abandono ainda hoje é feita por muita gente que passa por provações extremas. Jesus livremente quis assumir as nossas dores e angústias para nos assegurar que está connosco e nos fortalece para levarmos a nossa cruz e ajudarmos outros a suportá-la. A descrição da paixão é chocante, com algumas imagens temíveis (v 13-18) e tão concreta como se o salmista, tantos anos antes, tivesse presenciado ao vivo a paixão de Jesus (v 8-9; 17-19). Retrata cruamente o sofrimento de Jesus e o de muita gente com quem Ele se identificou.

2. “Senhor não vos afasteis de mim. Vós sois a minha força, apressai-Vos a socorrer-me” (v 20; 12). Este versículo exprime claramente confiança e esperança e parece dar unidade e sentido aos outros. No seu sofrimento terrível, o salmista que interpreta Jesus, não perde a esperança porque sabe, pela experiência dos antepassados na fé, que Deus socorre quem por Ele clama e n’Ele confia (v 4-6).

3. “Hei-de falar do Senhor aos meus irmãos (…). Há-de servi-lo a minha descendência” (v 23- 31). O final do salmo é ação de graças pela proteção recebida e promessa de O anunciar. Manifesta, assim, a convicção de que será atendido e há-de viver para narrar aos familiares, à comunidade e aos vindouros as obras do Senhor. Do seu sofrimento há-de nascer um povo novo que louvará a Deus e praticará a fraternidade e a justiça (v 24 a 32). Superando o particularismo do Antigo Testamento, será um povo universal, aberto a todas as nações, instrumento de unidade de toda a família humana (v 28-32).

Ao identificar-se com este salmo, Jesus mostrou a certeza de que o grão de trigo, caído na terra, dará muito fruto. Da sua paixão há-de nascer um povo renovado. Nos somos parte desse povo adquirido pelo Seu sangue, chamado a ser fermento de uma nova humanidade.

Rezemos então o salmo 22 (21) com a esperança de que o sofrimento da pandemia gere também uma humanidade renovada. Concretizemos a oração ao contexto que vivemos clamando: “Meus Deus não nos abandoneis, prestai atenção ao nosso clamor; apressai-Vos a socorrer-nos; iluminai-nos para renovarmos a nossa forma de viver com mais humildade, fraternidade e solidariedade”.

D. Manuel Pelino

 

ORAÇÃO NO TEMPO DA FRAGILIDADE
Secretariado Nacional da Pastoral da Saúde

Deus eterno e omnipotente,
descanso na fadiga, amparo na fraqueza:
todas as criaturas de Vós recebem energia, existência e vida.

A Vós recorremos invocando a Vossa misericórdia
porque continuamos a sentir a fragilidade da condição humana
ao passar pela experiência de uma nova epidemia viral.

A Vós confiamos os doentes e as suas famílias:
curai-os no corpo, na mente e no espírito.

Ajudai todos os membros da sociedade a cumprir o seu dever
e a reforçar o espírito de solidariedade entre si.

Amparai e confortai os médicos
e os profissionais de saúde da linha da frente
e todos os que prestam cuidados de saúde,
no desempenho do seu serviço.

Vós que sois a fonte de todo o bem,
enchei de bênçãos a família humana,
afastai de nós todo o mal e dai uma fé sólida a todos os cristãos.

Livrai-nos da epidemia que nos está a atingir
para que possamos retomar com serenidade
as nossas ocupações habituais
e louvar-Vos e dar-Vos graças de coração renovado.

Em Vós confiamos e a Vós elevamos a nossa súplica
porque Vós, ó Pai, sois o autor da vida,
e com o Vosso Filho, nosso Senhor Jesus Cristo,
na unidade do Espírito Santo,
viveis e reinais pelos séculos dos séculos.
Ámen.

Santa Maria, saúde dos enfermos, rogai por nós.

 

ORAÇÃO

“Senhor Jesus, Salvador do mundo,
esperança que nunca nos desilude,
tem piedade de nós e livra-nos de todo o mal!
Pedimos-Te para vencer o flagelo deste vírus que se está difundindo,
curar os doentes, preservar os sãos,
apoiar quem trabalha pela saúde de todos.
Mostra-nos o Teu Rosto de misericórdia
e salva-nos pelo Teu grande amor.
Nós to pedimos por intercessão de Maria,
Tua e nossa Mãe, que com fidelidade nos acompanha.
Tu que vives e reinas pelos séculos dos séculos.
Ámen.

Bruno Forte
(Bispo italiano)